Comunicação Organizacional e investimentos em sustentabilidade

Renata Freitas, Raquel Lobão

Abstract


Fundamentado numa perspectiva teórica comunicacional e de cultura das organizações de autores como Eisenberg (1997), Elkington (1999) e Putnam (2004), este artigo tem como objetivo analisar a produção de comunicação organizacional a partir das suas iniciativas sobre sustentabilidade da organização. O trabalho parte de conceitos teóricos sobre os temas que regem a comunicação organizacional e se estende a um estudo de caso junto a um grupo selecionados de empresas portuguesas do ramo alimentício. Neste sentido, a metodologia aplicada tem como base a coleta de dados oficiais junto a este grupo de organizações, além de descrever e interpretar: (1) os meios e as estratégias escolhidas para comunicar sobre sustentabilidade para seus públicos-alvo, (2) o sistema de avaliação adotado para averiguar a eficiência de tais meios, (3) a visão organizacional sobre a importância dos meios de comunicação no contexto de sustentabilidade. Pretende-se averiguar se estas organizações portuguesas sabem explorar o potencial comunicativo dos meios, se encontram dificuldades em avaliar sistematicamente a eficiência do processo comunicacional e, por último, se há consciência da importância da comunicação organizacional integrada e do diferencial de sustentabilidade como vantagem competitiva, e consequentemente, como estratégia comunicacional. Temos como objetivos reunir conceitos clássicos e modernos sobre comunicação organizacional e investigar como se utilizam as informações sobre sustentabilidade junto aos stakeholders, principalmente funcionários, acionistas e consumidores.

Keywords


Comunicação Organizacional, Sustentabilidade, organizações portuguesas.

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15847/obsOBS542011466