A Ilustração Portuguesa e a cobertura das eleições presidenciais da I República em Portugal

Celiana Azevedo, Jorge Pedro Sousa, Fátima Lopes Cardoso

Abstract


Em Portugal, a República foi imposta por uma revolução quando, passados mais de sete séculos de Monarquia, o chefe de Estado passou a ser eleito. Apesar do interesse de que se reveste o estudo do comportamento da imprensa nas eleições para a Presidência, durante a I República Portuguesa (5 de outubro de 1910 a 28 de maio de 1926), trata-se de uma temática ainda não abordada na história do jornalismo português, maioritariamente, interessada em eleições presidenciais recentes.
Esta pesquisa tem como objetivo geral contribuir para um maior entendimento deste campo de pesquisa. Para isso, foi analisada a cobertura feita pela Ilustração Portuguesa (1903-1924) combinando uma investigação com abordagem quantitativa e qualitativa do discurso das revistas, articulando a deteção, a recolha e a análise dos dados dos dois números anteriores e posteriores às datas de cada eleição.
O estudo concluiu que as eleições presidenciais na I República tiveram forte repercussão e um elevado valor como notícia; foram acontecimentos de grande simbolismo político, social e cultural, à semelhança das entronizações nas monarquias; tendo em conta a época e considerando o carácter independente da publicação, as coberturas foram essencialmente descritivas, pouco analíticas e interpretativas; centraram-se na “pessoalização” com forte recurso à fotografia de retrato; o discurso apresentou o desencanto com a I República, em especial, com as dissensões e lutas no campo político, frequentemente violentas; e, em alguns casos, cada eleição presidencial foi enquadrada num discurso voltado para o futuro e sempre elogioso para cada um dos novos chefes de Estado.

Keywords


Eleições presidenciais; Portugal; I República; cobertura jornalística; análise do discurso

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15847/obsOBS16220222018

License URL: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/