Gênero e jornalismo: quem produz as notícias e como influenciam no discurso

Juliana Alcantara

Abstract


O assunto que esse trabalho se debruça diz respeito ao questionamento: o fato de haver mais mulheres jornalistas alteraria a perspectiva de gênero nas produções noticiosas? O artigo divide-se em três partes; na primeira, o discurso é abordado sobre uma perspectiva de gênero, trazida por Teun van Dijk (2017) e Linda Steiner (2017). Na segunda, é feita uma revisão bibliográfica de trabalhos que tiveram como ênfase a diferenciação de gênero nas redações dos meios de comunicação noticiosos. Alguns deles pontuam diferenças existentes nas representações midiáticas e levam em consideração o número de mulheres presentes nas redações. Entretanto, pesquisas mais recentes contextualizam a inserção sociocultural dos/das profissionais, levando em consideração os papéis de gênero na sociedade. Sendo a feminização das redações um fenômeno que acontece passo a passo com a crise comunicacional neste início de século, são trazidas por último as cinco estratégias propostas por Margaret Gallagher (2004) para que a mudança do cenário atual possa ocorrer. O ponto de vista da autora compreende outros meios de comunicação, além dos noticiosos, e tem como chave a perspectiva de gênero.

Keywords


jornalismo, gênero, feminização das redações, discurso, subjetividade

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15847/obsOBS15120211688

License URL: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/