Doenças oncológicas em notícia: a força da investigação médica

Olga Magalhães, Felisbela Lopes, Rita Araújo

Abstract


É através dos media noticiosos que grande parte da população encontra informação sobre o campo da saúde. Isso dota o trabalho jornalístico de particular responsabilidade, na medida em que os conteúdos interferem inequivocamente nas perceções sociais. No que diz respeito à cobertura noticiosa da saúde, particularmente na imprensa, os estudos demonstram que os jornalistas não se interessam muito pelas doenças, mas, quando isso acontece, são as doenças oncológicas aquelas que têm uma prioridade substancial no agendamento noticioso.
Neste artigo, procuramos saber de que modo o cancro se torna notícia nos jornais diários portugueses. Para isso, analisámos todos os textos noticiosos publicados no Público, Jornal de Notícias, Diário de Notícias e Correio da Manhã entre 2010 e 2018, ou seja, 1.255 artigos onde são citadas 2.471 fontes de informação. Do nosso estudo salienta-se a força da investigação médica na tematização desta doença e a hegemonia das fontes especializadas como interlocutores privilegiados para transformar este tópico em notícia.

Keywords


Doenças oncológicas, investigação médica, cobertura mediática

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15847/obsOBS14320201565

License URL: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/