Comunicação Política e ONG: o lugar do Jornalismo

Pedro Pereira Neto, Cláudia Lamy

Abstract


O Jornalismo constitui, como sabemos, um fenómeno social cujas características decorrem da sociedade em que se inscreve. Por outro lado, os media não apenas constituem o meio através do qual a maioria dos cidadãos estabelece contacto com a realidade não fisicamente experienciável mas foi também capacitada por ela que se desenvolveu uma opinião pública informada. Conhece-lo implica, necessariamente, correlacioná-lo com o sistema social em que está inserido, incluindo a paisagem económico-política em que se encontra.
Uma dimensão essencial na valorização da classe profissional prende-se com a sua literacia profissional ou, no caso específico deste trabalho, literacia ambiental, fruto de um processo de educação da atenção, atributos constitutivos das relações estabelecidas num determinado contexto. A essa dimensão é chamada uma outra, jogada na importância das fontes, com a qual a classe estabelece uma relação simbiótica de interdependência.
A partir de dados provenientes de seis entrevistas conduzidas ao (reduzido) elenco de jornalistas de Ambiente nos principais meios de comunicação escrita no país, é problematizado neste trabalho o lugar da/o jornalista, encontrada/o entre condições de exercício da profissão decorrentes de mutações nas redacções e um conjunto de interacções negociadas com fontes de cuja agenda se constituem amplificadores.

Keywords


Comunicação, Jornalismo, Media, Ambiente, ONG, Política

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15847/obsOBS13120191314

License URL: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/