Rede de mentiras: a propagação de fake news na pré-campanha presidencial brasileira

Ricardo Ribeiro Ferreira

Abstract


A disseminação de conteúdo falso ou fora de contexto e seu impacto em processos de decisão das democracias ocidentais ganharam nova força com as redes sociais e voltaram a ser objeto de muitas análises, em especial depois dos resultados do referendo do Brexit e de eleições nos EUA e na Europa, em 2016 e 2017. Revisando estudos sobre estes acontecimentos e discutindo em bases teóricas e empíricas as causas e efeitos das fake news na Web 2.0, este artigo identifica a quantidade e a distribuição deste tipo de conteúdo no cenário pré-eleitoral brasileiro. Foram rastreados os links que continham os nomes dos principais possíveis candidatos à Presidência do Brasil em 2018 com o maior engajamento (compartilhamento e interações) nas redes sociais em 2017 e, após classificação utilizando critérios definidos, o desempenho das fake news foi comparado com o das notícias da mídia mainstream. Dois dados se destacam: o engajamento das fake news foi até três vezes maior que o engajamento em conteúdos de veículos de comunicação tradicionais e, nos casos dos dois melhores colocados nas pesquisas de intenção de voto até o momento da coleta de dados, situados em lados opostos do espectro ideológico, os conteúdos falsos respondem por mais da metade dos engajamentos.

Keywords


fake news; notícias falsas; pós-verdade; eleições; brasil

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15847/obsOBS12520181272

License URL: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/2.0/