I Media tra le Imprese, il Pubblico e lo Stato, Le Nuove Sfide per la Ricerca

Giuseppe Richeri

Abstract


During last decades the media have witnessed profound changes in technology and contents. Those changes have also influenced the very own media environment. At the same time the change in the media has influenced the social, economic and political dimensions of our societies. Such changes should also open an opportunity for media researchers to question themselves how those changes are, or should be, reflected in their own questioning and research. It is suggested that media research should particularly focus on the relationships between the media, audiences and the state. In order to address the complexity of such phenomena, research agendas should take into account both national and international dimensions of analysis. A multi-focal perspective based in the combined knowledge of economy, sociology, and political science might constitute the needed formula which is able to analyse the roots of change and at the same time provide evidence for foresight. It is argued that only such an approach might allow media researchers to identify the emerging issues and provide policy guiding for the state and international organizations in order to address efficiently the common interests of society at large.


Os Media entre as Empresas, o Público e o Estado. Novos desafios para a investigação.

Durante as últimas décadas temos vindo a testemunhar profundas transformações nas tecnologias e nos seus conteúdos. Essas mudanças influenciaram o próprio ambiente dos media, ao mesmo tempo que a mudança nos media têm influenciado as dimensões social, económica e política das sociedades contemporâneas. Este conjunto significativo de mudanças abre, simultaneamente, uma oportunidade para os investigadores na área dos media se questionarem de que modo essas mudanças são, ou deveriam ser, reflectidas nas suas interrogações de pesquisa. O presente artigo sugere que: o focus da investigação sobre os media deve ser colocado nas relações entre os media, as audiências e o Estado; as agendas de pesquisa deverão incorporar ambas as dimensões nacional e internacional por forma a captarem a complexidade do fenómeno nas suas análises; e devem optar-se por uma perspectiva multifocal que combine a economia, a sociologia e a ciência política, combinação que permitirá não apenas analisar as origens da mudança, como também fornecer dados prospectivos. O artigo argumenta que apenas uma agenda de pesquisa multifacetada como a proposta, permitirá aos investigadores identificar as principais questões emergentes e definir as orientações sobre políticas públicas e para as organizações internacionais, de uma forma eficiente e integrada, o que se traduzirá em resultados em termos de objectivos comuns e da sociedade em geral.

Keywords


Press

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15847/obsOBS11200751