Da Representação à Simulação: a Comunicação sob o Paradigma da Complexidade

Maria Inês A.J. Accioly

Abstract


Este texto problematiza o conceito de simulação no campo comunicacional, a partir do cotejo entre o uso tradicional desse termo no senso comum e a abordagem mais recente das pesquisas focadas nas tecnologias informacionais. No primeiro caso a simulação é – ou era, até há pouco tempo - sinônimo de farsa, ao passo que no segundo predomina a acepção proveniente das tecnociências: método experimental baseado em ensaios com modelos. Neste artigo proponho uma definição de simulação que busca superar o antagonismo entre estas duas acepções; contextualizo o conceito frente ao paradigma contemporâneo da complexidade, explorando conexões com as noções de emergência e jogo; e estabeleço um paralelo entre a lógica da simulação e a dualidade analógico-digital do código informacional.

From Representation to Simulation: Communication in the Paradigm of Complexity

This text questions the concept of simulation in the communicational field, from the confrontation between the traditional use of this term in the common sense and the most recent approach of the researches focused on the informational technologies. In the first case the simulation is, or was, a little time ago, a synonym of farce – while in the second one, the acceptation coming from the techno sciences predominates: experimental method based on essays with models. In this article, I propose a definition that intends to exceed the antagonism between these two acceptations; I contextualize the concept faced with the contemporary paradigm of complexity, exploring connections with the notions of emergence and game; and I establish a parallel between the logic of simulation and the analog-digital duality of the informational code.

Keywords


simulation; game; emergence; complexity, simulação; jogo; emergência; complexidade

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15847/obsOBS242008212